Diferenças entre FATURAMENTO | LUCRO | RECEITA

https://surgeaki.com - Faturamento | Lucro | Receita - ECONOMIA

Empresas do mundo todo usam termos como faturamento, receita bruta e lucro líquido em seus resultados financeiros; descubra o significado desses conceitos.

Já reparou que Google, Microsoft, Intel e tantas outras empresas divulgam relatórios financeiros regularmente ? Esse tipo de documento detalha, por exemplo, a receita, o faturamento e o lucro que a companhia registrou em determinado período. Note, porém, que muita gente pensa que esses conceitos são a mesma coisa. Não são.

Se é o seu caso, não se preocupe. A seguir, você descobrirá o que é lucro, o que é receita, o que é faturamento, entre outros termos relacionados.

Receita e faturamento: o que são ?

Vamos começar pelo conceito de receita, pois, a partir dele, fica mais fácil entender os demais termos.

receita é a soma dos valores que uma organização arrecada com venda de produtos, prestação de serviços, aplicações financeiras, licenciamento de marcas ou patentes, entre outras atividades. Em resumo, a receita consiste em todo o dinheiro que a organização arrecada em determinado período.

A confusão começa a ganhar forma aqui. Muita gente pensa que receita e faturamento são sinônimos. E são mesmo! Mas só até certo ponto.

Para compreender a diferença, é importante continuarmos descrevendo o conceito de receita. Há, basicamente, dois tipos:

  • Receita bruta: é a soma dos valores arrecadados pela organização em determinado período, de acordo com a descrição de receita feita anteriormente;
  • Receita líquida: consiste no que foi arrecadado menos os valores de determinados impostos, descontos, devoluções de produtos, comissões ou multas.

Pois bem, o faturamento é o mesmo que receita bruta. Normalmente, os valores que entram para essa conta são aqueles que, no Brasil, devem ser registrados em notas ou recibos fiscais.

EXEMPLO: Imagine uma empresa cujos únicos produtos são uma cadeira que custa R$ 100 e uma mesa que custa R$ 500. No intervalo de uma mês, essa companhia vendeu 38 cadeiras e 16 mesas. Logo, a receita bruta ou o faturamento dessa empresa no período foi de R$ 11.800 (38 x R$ 100 mais 16 x R$ 500).

E o que é lucro ?

O faturamento é importante para determinar, em valores monetários, tudo aquilo que a organização arrecadou com vendas, prestação de serviços e semelhantes. Já o lucro estabelece qual a parcela dessa arrecadação corresponde ao dinheiro que a organização ganhou dentro do período avaliado.

Para fazer esse cálculo, é necessário separar despesas e impostos pagos. O que sobra é o lucro, basicamente. Mas aí você vai dizer: “peraí, isso aí não é a receita líquida?”. Esse ponto é mesmo confuso, mas não de difícil compreensão.

O cálculo da receita líquida pode variar de acordo com o ramo de atividade ou mesmo de empresa para empresa. Mas, no geral, essa é uma medida que determinada a receita real em determinado período.

No exemplo mais acima, a empresa vendeu 38 cadeiras e 16 mesas, totalizando R$ 11.800. Mas suponha que, três das mesas foram vendidas com desconto de 50% e que R$ 500 foram pagos pela companhia em impostos. A receita líquida ficou em R$ 10.550, consequentemente.

Já o lucro é o dinheiro que resta depois do desconto de impostos, despesas (como aluguel do escritório e salário dos funcionários), comissões e afins.

Não é difícil entender, certo ? Mas é importante que você saiba que há mais de um tipo de lucro.

https://surgeaki.com - Dinheiro brasileiro | Real | Brasil

Diferença entre lucro bruto e lucro líquido

Não é só a receita. O lucro também pode ser bruto ou líquido. Existe ainda uma terceira definição, esta mais subjetiva que as demais, chamada lucro ajustado. Felizmente, é fácil entender os três conceitos:

  • Lucro bruto: às vezes chamado de lucro operacional, o lucro bruto consiste na receita líquida menos os custos que a organização teve com produção ou prestação de serviço (como matéria-prima ou consultoria);
  • Lucro líquido: o lucro líquido é um parâmetro mais preciso, pois, além de considerar a receita líquida menos os custos de produção ou serviço, coloca nessa conta todos os demais gastos, como pagamentos de tributos e despesas fixas (conta de luz, aluguel, entre outros);
  • Lucro ajustado: também chamado de lucro líquido ajustado, essa medida considera números que podem variar de organização para organização, mas, geralmente, corresponde ao lucro líquido menos a reserva legal (que vai para o patrimônio), a contingência (para imprevistos) ou a remuneração de ações.

Por serem parâmetros que dão uma noção mais clara da saúde de uma operação no período estabelecido, o lucro líquido e o lucro ajustado costumam ser os aspectos mais observados nos relatórios financeiros.

O tal do EBITDA

Ao consultar um relatório financeiro, há boas chances de que você se depare com um nome estranho: EBITDA. A palavra é esquisita porque, na verdade, consiste em uma abreviação em inglês para “Lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização”.

Esse parâmetro descreve os recursos financeiros que a organização registra apenas com as atividades operacionais, sem considerar investimentos ou impostos, por exemplo.

O que é ?

Diversos fatores devem ser considerados antes de investir em uma empresa; saiba o que é EBITDA e como calculá-lo para te ajudar na tomada de decisão.

Quem investe em empresas ou se aventura na bolsa de valores, sabe a necessidade de uma boa avaliação para uma tomada de decisão inteligente. Para ajudar neste processo, existem muitos indicadores, um deles é o Ebitda: saiba o que é, além da importância de utilizá-lo.

Ebitda é a sigla em inglês para “earnings before interest, taxes, depreciation and amortization”. Em português, “Lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização” (também conhecida como LAJIDA). O indicador é usado para medir o quanto uma empresa gera de recursos apenas com suas atividades operacionais, não incluindo investimentos financeiros, empréstimos e impostos. 

Dessa forma, o Ebitda também pode ajudar a determinar o valor de uma empresa e sua capacidade de pagar dívidas. Além disso, o indicador é usado globalmente e é a melhor opção para comparar, por exemplo, empresas de países diferentes, já que cada nação possui regras de taxação e impostos diferentes impactando, por sua vez, na análise e comparação de outros indicadores.  

Para que uma empresa seja considerada saudável, portanto, é necessário que o Ebitda seja positivo. Além disso, o investidor deve analisar se o índice se manteve assim por um longo período de tempo: isso também é um sinal positivo. No entanto, em períodos de crise, é normal que o indicador sofra oscilações, por isso, analise o histórico por completo. 

Como calcular o EBITDA ?

https://surgeaki.com - EBITDA | Planilha | Custos | Renda
Imagem meramente exemplificativa

De acordo com as regras da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a divulgação do Ebitda (ou Lajida) é voluntária, ou seja, as empresas brasileiras não têm a obrigação de colocar em seus balanços. Mas você pode mesmo pode calculá-lo, para isso, é essencial saber os seguintes valores: 

  • Resultado líquido: esse é o rendimento real de uma empresa determinado pela subtração entre a receita total e os gastos da organização;  
  • Juros: referente aos juros de uma dívida da empresa ou ao ganho em relação a aplicações, mas normalmente é relacionado a uma despesa; 
  • Impostos: todos os gastos com impostos são incluídos aqui;
  • Depreciações: é aplicado aos ativos tangíveis de uma empresa, como máquinas ou veículos, que perdem seus valores por uso, obsolescência ou desgaste natural;
  • Amortizações: aqui é considerado a perda de valor dos ativos intangíveis de uma empresa como marcas, patentes, softwares e direitos autorais. 

Estes valores podem ser consultados nos relatórios financeiros de uma empresa. Com eles em mãos, é só fazer o seguinte cálculo: 

  • EBITDA = Resultado Líquido + Juros + Impostos + Depreciação + Amortização

Atenção: o indicador deve ser usado na comparação de empresas do mesmo setor e com portes semelhantes já que área e tamanho também podem impactar no resultado do Ebitda. Além disso, outros indicadores devem ser levados em conta em uma avaliação para uma tomada de decisão mais inteligente. 

Desvantagens do EBITDA

O Ebitda pode ser usado tanto para o bem, como para o mal. Uma empresa, por exemplo, pode usar o Ebitda como indicador principal para esconder o histórico de grandes empréstimos. 

Além disso, o cálculo do Ebitda ignora as mudanças no capital de giro. Levando em conta que esse recurso pode variar devido a diversos fatores, ignorá-lo pode levar a uma interpretação equivocada sobre a saúde de uma empresa, impedindo, também, de avaliar sua liquidez.

Diante disso, como já disse acima, não esqueça de olhar outros indicadores antes de investir e pense sempre a longo prazo. Agora que já sabe o que é e Ebitda e como calculá-lo, suas tomadas de decisões serão mais inteligentes. 

Via Tcno Blog




Nesta 1ª FASE DE IMPLANTAÇÃO, estaremos inaugurando nosso Projeto de Negócios a partir de nosso Estado. Nossa pretensão para a 2ª FASE é atuar em todo o NORDESTE e, na 3ª, nos demais Estados da Federação, por REGIÃO, a partir do SUDESTE, depois, o SUL e, em seguida, o CENTRO-OESTE e o NORTE.

Que Deus nos abençoe a TODOS !

SURGEAKI.C0M | E-Empreendedorismo

Publicado por aldoadv

• Advogado • Empreendedor • Patriota | Conservador • Armamentista • Casado • Cristão

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: